>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Nobunaga
Nukenin C
Nobunaga
Vilarejo Atual
Ícone : [Mudança de Clã] A Teia da Aranha 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

[Mudança de Clã] A Teia da Aranha - 28/5/2018, 17:36

A teia da aranha

Velocidade: 22m/s 225/225 軍師 225/225 Stamina: 0/3


O frio invadia Iwagakure naquela manhã. Havia um certo senso estranho naquela manhã que indicava a chegada de algo diferenciado. Era uma manhã propícia para se manter deitado, descansar, se promover com base na calmaria. Os cobertores de lã eram aprazíveis, acolhedores e espessos o suficiente para se um pouco difícil afastá-los com as mãos. Na cama, o calor era receptivo demais com seu corpo, prendendo-o como cordas invisíveis amarradas com força contra a pele. O rapaz se movia, mas se recusava a abrir os olhos.

Havia passado a noite em sonhos intranquilos. Revirava-se, procurando uma posição responsável, mas ela fugia dele de alguma maneira. Parecia que havia algo estranho em seu corpo. Os sonhos variavam de diversas maneiras. A um mundo assombrado pela escuridão, a invasão de energias sinistras que consumiam seus entes queridos e os colocavam sob seu controle até um universo mais tranquilo, a visão da grama plácida pelo chão e a calmaria das árvores balançando ao vento.

Tudo aquilo na mente do rapaz, prenunciava algo que se perturbava em seu chakra. Contudo, ele não tinha como saber como aquilo havia acontecido. Seria necessário para entender, retornar até o dia anterior, quando o menino realizava seus treinos nos Arredores de Iwa. Isso era parte de sua extensiva rotina de melhoria pessoal. O menino nunca desistia de seu intenso treinamento, constantemente buscando se tornar mais forte. Ele preferia treinar em locais mais distantes da Vila, contudo, sempre respeitando as instruções dos superiores e mantendo a zona segura.

Naquela tarde estranha, ele havia então adentrado uma montanha nas proximidades. Uma caverna cavada fundo na terra. Ele desejava testar a amplitude de seu Byakugan, o dojutsu ocular do qual havia obtido na nascença. Ele então continuou descendo através da montanha, aplicando suas técnicas visuais para analisar tudo que havia a sua volta. O Olho que Tudo Vê mantinha sua extensão atenção em todos os animais que habitavam os recantos das pedras, analisando tudo que faziam, de diversos ângulos e com detalhes. Insetos enfiados na parede, animais como toupeiras escavando a terra entorno da montanha, morcegos, aranhas, formigas e uma infinidade de bichos diversos.

Ele estava totalmente entretido naquela prática de treinamento visual, que não havia sido capaz de notar a aproximação de um ser estranho e totalmente diverso. Aparentemente, naquela caverna vivia uma criatura mística e desconhecida no mundo shinobi, que se mantivera por muitos anos na escuridão, aguardando alguém que ousasse perturbar seu caminho.  Não seria possível para Yamato percebê-la nem mesmo com seu impressionante Byakugan, uma vez que ela se situava coberta por uma crosta macabra de chakra e teias, que então se estendia e a defendia até mesmo do que havia de melhor na percepção do chakra.

Ao perceber a presença invasora, ela analisou a assinatura pequena de chakra do gennin, percebendo também suas intenções. Ao ler o chakra do rapaz, percebeu sua tendência ao heroísmo e a dedicação a defender os mais fracos. Fosse por isso ou outra razão qualquer, o ser enviou uma subordinada carregada de seu chakra para seguir atrás do rapaz. Yamato jamais saberia o que acontecera, mas enquanto observava os arredores da caverna, um ser rastejante subiu por seu sapato. Era uma minúscula aranha, que aproveitando-se das roupas de frio do rapaz, se dirigiu por sua perna, subindo através dela até alcançar uma de suas mãos que não estavam cobertas por roupa alguma.

A picada do inseto foi dolorosa e por vários minutos, Yamato se questionou como não havia visto o inseto subir por seu corpo, apesar de ter seu dojutsu ativado. A aranha fincou suas presas na carne do menino, injetando na corrente sanguínea seu veneno carregado com chakra externo do místico ser. O chakra correu pelos tenketsus a partir do sangue e gerou uma profunda pertubação no corpo de Yamato. Naquele instante, ele sentiu o Byakugan falhar, sem conseguir ver mais tudo claramente e sua habilidade no controle do Chakra diminuindo gradualmente. Ele sentiu as dores terríveis da picada, mas ao olhar para mão, a aranha saltou e escapou entrando em um buraco. No lugar onde ela o mordera, uma marca com oito tomoes foi deixada, entorno de um símbolo estranho.

Não havia como o pequeno saber o que se passava com ele. Logo ele buscou retornar o mais rápido que podia para casa, não desejando mostrar a ninguém seu erro em adentrar um lugar desconhecido. Ele seguiu para casa imediatamente, buscando esfregar o lugar onde havia sido ferido pela aranha na tentativa de aplicar a dor que fazia arder o lugar. Ele sentiu a tontura começar a tomá-lo logo que adentrou a vila, mas de maneira diligente e com imenso esforço, ele buscou a segurança de seu lar, contendo os primeiros ímpetos de dor.

Ele então adentrou sua casa, realizando uma breve vênia respeitosa em direção aos seus pais que estavam na sala. Ele se sentia mal, enjoado e com profundas dores no corpo. A maior parte de seu corpo ardia como fogo, contaminado pelo veneno da aranha. Ele se dirigiu a seu quarto, ignorando alguns protestos de seus pais. Precisava de um tempo para si, esperando que nada daquilo acabasse ruim para ele. Não queria ficar doente, mas ainda era ingênuo demais para conferir aquilo sua devida seriedade.

O rapaz removeu as roupas como podia e as largou na base da cama, deitando nela e tentando pegar no sono. Sua esperança infantil era de que na manhã seguinte tudo recomeçaria, ele poderia esquecer a existência daquele dia e descansar depois com essa consciência de que tudo estaria bem. Não havia outra maneira de ele manter sua mente calma se não através da esperança. A ingenuidade não confere apenas tranquilidade, mas também podia negar consequências a algumas coisas ou exagerar coisas pequenas. Os efeitos em seu corpo eram ignorados como ele podia, não choraria ou pediria por socorro, ele era um ninja e não podia se dar ao luxo destes sinais de fraqueza.

O dia seguinte chegou, como bem acompanhamos no começo da narrativa e com ele veio a certeza de que nada mais seria como antes. Yamato abriu os olhos de pálpebras pesadas, ainda cobertas pelo pó de pestana que o fazia dormir, como areia pegajosa. Após limpar o rosto com sua mão ferida, ele percebeu que seu corpo havia se tornado terrivelmente diferente. Tendo acordado daqueles sonhos intranquilos, Yamato se descobriu transformado em um terrível inseto.

Ele havia adquirido um total de dois novos braços, projetados como apêndices de suas costelas. De certa maneira, não entendia o que lhe havia acontecido. Como a mera ferida daquela aranha lhe havia transformado. Ele permaneceu na cama, fosse relutância pela aura de frio entorno de si ou devido aos seus novos membros, a dificuldade de aceitar o que lhe havia acontecido ou o mero choque de ter sua vida modificada de uma hora para outra. Ele se manteve deitado em seu canto, não desejando perturbar ninguém com sua estranha existência. Contudo, o dia começou a avançar e batidas na porta ressoavam. Era hora dele acordar e se levantar e caso não o fizesse, seus pais adentrariam pelo quarto cheios de indagações. Aquilo podia ser perigoso para ele, caso não fosse reconhecido ou caso achassem que ele era uma aberração. Yamato jamais aceitaria perder o amor de seus pais.

Ele fez força para conseguir se projetar para cima. Mas havia membros demais para controlar e aquilo o deixava extremamente inseguro e descoordenado. Acabava movendo um braço invés de outro e por muito tempo lhe custou para que conseguisse adquirir total mobilidade dos braços que obtivera. De fato, demoraria ainda mais tempo para que ele dominasse ou descobrisse todas as habilidades que havia obtido devido a estranha  situação na qual havia sido submetido.

O rapaz trancou seu quarto e passou algum tempo em reflexão, ele teria que descobrir cada uma das técnicas individualmente. Com a ajuda de uma técnica de ilusão, ele aplicou o henge no jutsu em seu corpo. Aquilo o permitiria esconder as estranhas características que adotara. Apesar de seus pais serem Hyuga e detentores de olhos do Byakugan, não andavam pela casa com ele desperto todos os dias. Isso dava a Yamato um tempo para preparar a notícia daquelas estranhas mudanças e para adquirir controle sobre o que acontecia com ele.

Junto com as habilidades de Kumo Nenkin, algo que ele viria aprender  com o tempo e com longas pesquisas, vinha também os membros extras e a capacidade para excretar substâncias semelhantes a teias. Imbuído aquilo com controle de chakra e outras de suas capacidades, seria possível para ele desenvolver os mais diversos tipos de técnicas. Ainda não seria proeficiente nelas, até por não ser o ninjutsu seu maior forte, mas com o tempo as mudanças viriam e alterariam quem ele era por completo.

Cabia agora a ele a necessidade de se manter não só no controle, como em silêncio em relação ao que obtivera ali. Os seus dons seriam um segredo tão bem guardado quanto o legado Hyuga. Precisaria obter uma casa para si, manter-se sozinho e isolado, onde não precisasse mais dar satisfações. Não era uma independência feliz, mas extremamente dolorosa para ele. Ele buscaria com o tempo desenvolver suas capacidades ao máximo, se tornando um shinobi mais forte através daquilo que havia conquistado.



Considerações:

1537 palavras para mudança de Clã. Se possível pegar status também seria bom, já que não escrevi outro filler essa semana.
(C) Ross

_______________________

[Mudança de Clã] A Teia da Aranha ToFODuc
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Mudança de Clã] A Teia da Aranha - 28/5/2018, 17:55

@Status e mudança
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.