>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Kim
Chūnin
Kim
Vilarejo Atual
Ícone : new road ~filler 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

new road ~filler - 1/3/2018, 17:31

Dance of Sands

Pouco tempo atrás você acreditava que era apenas uma pivete de rua destinado ao mundo do crime. Sem pais nem uma estrutura social que o apoiasse, permaneceu escondida nos becos do vilarejo enquanto cometia crimes para chamar atenção. Você sabia que aquela vida não lhe levaria a lugar algum, mas o que podia fazer? Ninguém acreditava no seu potencial. Ninguém conseguia enxergar que naquela garota jogada ao destino pudesse florescer algo significante. Ninguém realmente se importava. Você sempre achou que o mundo fosse injusto demais; enquanto algumas crianças brincavam com peças soldadas à ouro, outras tinham que se contentar com retalhos de madeira achados em latas de lixo. Nunca foi de ligar para o luxo, até porque não havia maneiras de consegui-lo, mas tinha que confessar que sempre que via um menino saindo da loja de doces com as mãos cheias de guloseimas, se perguntava porque veio ao mundo senão para sofrer. Sua história não é, nem de longe, uma das mais belas. Porém saiba que, na maioria das vezes, o protagonista passa por alguém perrengues antes de alcançar a glória. O mundo realmente é injusto, Yuki, e você aprendeu isso da pior forma.

Felizmente aquele tempo já fora. É claro que você ainda acha o sistema uma merda, mas pelo menos sabe que não são todos que o apoiam. Estava decidida a trilhar um caminho de superação nunca antes visto, e conseguiria atingir aquele objetivo mesmo andando sozinha.

Tempo. As pessoas costumam dizer que tudo se constrói e se destrói com o tempo. Eu discordo; há coisas que nem mesmo ele é capaz de levar. A memória de uma criança sem pais deixada ao acaso, por exemplo, é uma das coisas que não se esquece não importa quanto o tempo passe. Mas deixando toda a parte melancólica de lado, podemos dizer que essa é uma boa história para se contar. Grite, esperneie, bata, coloque tudo pra fora; essas são algumas das palavras que vinham na mente de Yuki ao longo dos inquietantes dias após sua graduação. Você pode protestar o quanto quiser, garota, mas suas ações apenas comprovam o quão inexperiente você é para sair mundo afora; o quanto seu cérebro te faz acreditar que é forte, que é esperta o suficiente, que pode aprimorar suas habilidades sozinha. Tudo isso baseado num ego criado através de crimes do qual nunca era responsabilizado, mas aqui fora é outra coisa. Antes ninguém se importava com o que uma mera órfã fizesse nas ruas de seu vilarejo, mas a partir do momento que você decidiu se tornar um ninja, ah, foi aí onde o seu nome começou a ser reconhecido.

E você gostava disso.

Gostava porque permanecer nas sombras dos outros não era algo que lhe agradava. Por que mais sempre pichava suas iniciais nas construções que depravava até pouco tempo, mesmo sabendo que podia ser presa? A resposta todos nós já sabemos: você gosta da atenção. É impossível negar; pode não gostar da maneira irrelevante como as pessoas te olham, mas ser notada é o que realmente importa, seja de maneira positiva ou negativa. Esse é um daqueles defeitos que alguém carrega durante toda a sua vida, não importa o quanto ele evolua. Mas, como tudo o que passamos nessa sofrida jornada, isso também pode ser algo passageiro, algo que procura apenas o momento certo para se desfazer de sua personalidade e te ensinar a ser um verdadeiro ninja.

Agora está aí, andando sozinha em meio a labirintos de montanhas sob um calor intenso, completamente perdida de si e de todos. E foi enquanto caminhava como um urubu sem direção, que dois homens de aparências nada amigáveis cruzaram seu caminho. Foi apenas neste momento que você se deu conta do que estava acontecendo, Yuki. Olhou para trás à procura de ajuda mas tudo o que viu foi o vilarejo, adicionando o fato de que a distância até a casa mais próxima era de no mínimo vinte minutos. Por que tinha ido tão longe? Para que ir caminhar num lugar tão distante da civilização? Você gostava de pensar sozinha, sim, mas ainda era muito fraca para fazer isso num lugar desses. Nervosa, jogou uma bala de café na boca e tentou se acalmar um pouco, mas não sabia ao certo se uma mera distração o traria de volta à realidade.

O estatelar de um soco na cara lhe trouxe de volta ao presente, um plano de onde você nunca deveria ter saído. Se viu caída no chão e com um forte gosto de ferro escorrendo pelo lábio inferior; tentou levar sua mão direita à boca para conferir o estrago, mas antes que pudesse, sentiu o braço ser impedido pelo grande e gordo pé de um daqueles homens. Você estava fraca, Yuki, e se continuasse fraca, iria morrer.
O que querem? — gritou, levando a cabeça do chão quente e encarando o agressor mais próximo. Eles eram, para se dizer o mínimo, quarenta centímetros maiores que você. É, as técnicas básicas de academia não lhe prepararam para isso, e tudo com o que você poderia contar desapareceu no momento em que deixou sua pochete em casa, onde guardava todo o seu arsenal ninja.

O que lhe deixou irada foi que os bandidos nem ao menos disseram o que queriam com você, apenas lhe socaram e lhe bateram como se fosse uma encomenda. Uma encomenda, pensou consigo mesmo. Agora sim, Yuki, agora seu cérebro preguiçoso começou a funcionar. Mas pensar em quem contratou aqueles caras para lhe matar não lhe ajudaria neste momento, você precisa de algo que te dê poder real, algo que possa usar para vencer os inimigos e voltar correndo para a vila, lugar da onde nunca deveria ter saído sozinho. Pense Yuki, você consegue, eu sei que consegue; estou aqui há muito tempo para ver você desistir da vida dessa forma, sem nem lutar por sua bandana. Faça eles saberem quem é, faça você saber quem é. Não tenha medo, liberte seu chakra e abrace o poder que carrega em suas veias, seja uma verdadeira shinobi!

Desconsiderando minha empolgação, é verdade, até que você foi. No momento em que o maior dos bandidos estava prestes a desferir um chute certeiro em seu rosto, você emanou uma energia tão grande que até o chão no qual estava deitado cedeu. Sua pele brilhou em suor frio e partindo de seu corpo uma aura irreconhecível tomou conta do local. Estavam totalmente cercados. Sim, Yuki, você não é uma ninja dessas qualquer, você tem um verdadeiro poder, e demorou para descobrir isso, mas agora estava na hora de mostrar aquilo que o seu sangue lhe provém. Aproveitou o espanto que o bandido sofreu a cena e avançou na direção de um deles, estava agindo por instinto, como um animal. Enterrou uma grande lâmina que roubara de um deles no peito do homem, que caiu imediatamente quase sem vida no chão. Virou-se para trás ao ouvir o som de uma kunai cortando o vento e passando a raspar pela sua nuca. Você e o agressor correram um contra o outro na mesma intensidade, mas dessa vez era diferente; você sentia como se pudesse se esquivar de todos os golpes daquele bandido de meia tigela, como se a força bruta dele não fosse nada comparada à agilidade de seus movimentos esguios.

Agora eu posso dizer sem brincadeiras, ver você lutar era bonito. Num milésimo de segundo uma dúzia de kunais avançaram contra o bandido. Os gritos de medo do homem ecoavam por todo o vale. Enquanto seu corpo grande e forte caía sonolento, você escorregou por debaixo de suas pernas e virou-se na direção das costas, desferindo uma porrada certeira em sua canela. Naquele momento um voleio de lembranças correu pela mente da jovem, trazendo algumas memórias de seu passado da qual ela não tinha sequer noção da existência. O embate estava acabado, o bandido ainda acordado permanecia quase ajoelhado enquanto sangrava por toda a parte, mas para você... Ah, ainda não era o suficiente. Para que deixar os dois vivos? Apenas um seria o suficiente para entregar o recado ao mandante do crime, mostre-o que agora você é forte. Correu como corre uma onça e pulou no meio ar, erguendo a lâmina enquanto mergulhava na direção do bandido mais fraco. O barulho da perfuração foi alto e conclusivo, seus olhos fixaram-se nos deles enquanto você sentia a vida do homem se esvair do seu corpo. Sem querer lidar com conflitos internos, deixou os estilhaços no chão e saiu correndo de volta para a vila, tinha uma longa pesquisa a realizar agora.


Leiam:
Tem 1422 palavras, eu ganho um ponto de perícia, correto? Se sim eu escolho sábio.

_______________________

彼らはそれを魔法と呼ぶ
-
Urameshi
Chūnin
Urameshi
Vilarejo Atual
Ícone : lathe biosas

https://www.narutorpgakatsuki.net/t70850-berserker

Re: new road ~filler - 1/3/2018, 18:36

Você pode treinar uma qualidade de um ponto.
Aprovado a conquista da qualidade "Sábio (1)" e o filler.

_______________________

new road ~filler Susanoo-no-Mikoto-slaying-Yamata-no-Orochi-in-Kojiki
-
Kim
Chūnin
Kim
Vilarejo Atual
Ícone : new road ~filler 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

Re: new road ~filler - 4/3/2018, 13:20




Pouco tempo atrás você acreditava que era apenas uma pivete de rua destinado ao mundo do crime. Sem pais nem uma estrutura social que o apoiasse, permaneceu escondida nos becos do vilarejo enquanto cometia crimes para chamar atenção. Você sabia que aquela vida não lhe levaria a lugar algum, mas o que podia fazer? Ninguém acreditava no seu potencial. Ninguém conseguia enxergar que naquela garota jogada ao destino pudesse florescer algo significante. Ninguém realmente se importava. Você sempre achou que o mundo fosse injusto demais; enquanto algumas crianças brincavam com peças soldadas à ouro, outras tinham que se contentar com retalhos de madeira achados em latas de lixo. Nunca foi de ligar para o luxo, até porque não havia maneiras de consegui-lo, mas tinha que confessar que sempre que via um menino saindo da loja de doces com as mãos cheias de guloseimas, se perguntava porque veio ao mundo senão para sofrer. Sua história não é, nem de longe, uma das mais belas. Porém saiba que, na maioria das vezes, o protagonista passa por alguém perrengues antes de alcançar a glória. O mundo realmente é injusto, Yuki, e você aprendeu isso da pior forma.

Felizmente aquele tempo já fora. É claro que você ainda acha o sistema uma merda, mas pelo menos sabe que não são todos que o apoiam. Quando chegou em casa não tardou a cambalear em direção à pia e botar pra fora todo o seu almoço, argh. Seus braços e pernas estavam levemente doloridos, mas ao colocar a mão na barriga você ainda conseguia sentir os pés dos atacantes lhe chutarem sem dó. Passou todo o caminho de volta tentando pensar em quem teria contratado aqueles bandidos para matá-la, e principalmente: o porquê. Seu primeiro palpite foi achar que algum cientista louco sabia sobre seu poder e queria estudá-lo. Fazia sentido, por que não? Sabia o quão raros seus olhos eram. Mas aquilo não era tudo. No fundo você achava que sua origem desconhecida tinha alguma coisa a ver com o incidente. O fato de seus pais terem sido mortos, junto com o ataque de bandidos justamente quando você descobriu sua Kekkei Genkai, era coincidência demais para você ignorar.

Contrariava a si mesmo quando se pegava pensando no que fazer. Você estava nessa sozinha, e nem tinha como escapar. A primeira ideia que passou pela sua cabeça foi de descobrir a origem de seus poderes. Seu pequeno cérebro não parava de martelar seus instintos mais fortes, tinha tantas perguntas... O fato é que, mesmo que quisesse ir atrás de sua história, não fazia a menor ideia de por onde começar.

Você acordou no dia seguinte com o som agudo de algo se quebrando. Levantou-se da cama o mais rápido que pôde, segurando uma kunai na mão, e caminhou ainda sonolenta até a sala, da onde veio o barulho. Inspirou fundo e em seguida prendeu a respiração, visando ser o mais silenciosa possível. Essa com certeza estava sendo a semana mais estranha da sua vida. Primeiro é atacada por bandidos anônimos sem qualquer motivo aparente, depois descobre possuir uma habilidade rara, sua vida realmente está se tornando mais interessante. Ao chegar na sala de estar, você apenas encontrou a janela quebrada e um bilhete de papel amarrado numa pedra cinzenta. Correu até a sacada para tentar ver quem foi o autor do vandalismo, mas tudo o que conseguiu ver quando chegou lá foram rosas e sangue.

"Cara Yuki,

Soube através de fontes extremamente confiáveis que você finalmente despertou o seu verdadeiro poder. Não tenho muito tempo para escrever cartas, mas gostaria de lhe encontrar para falar sobre um assunto que certamente lhe interessará.

Sinceramente, Lupus."

A mensagem no bilhete viera com intenções duvidosas. Você não sabia se devia ou não fazer o que se pede, mas mesmo assim, não ir até o local marcado nunca passou pela sua cabeça. Você tinha coragem, Yuki, sinta orgulho disso.

O campo de treinamento estava completamente vazio, o único som que se podia ouvir, além de seus próprios passos, era o de grilos cantando na beira do lago. Estava prestes a dar meia-volta quando foi surpreendido por uma grande sombra que viajava rapidamente na sua direção. Por sorte o seu instinto falou mais alto. Traçou um salto vertical em um timing bom o suficiente para ver uma fuuma shuriken passar por debaixo de seu corpo. É, garota, pelo que parecia você estava sendo atacada novamente. Olhou para o alto de uma das várias rochas que haviam ali e notou alguma coisa, havia uma figura levemente esbranquiçada sendo iluminada pela luz da lua. E como o único ser vivo que você podia ver naquele local estava lá, bom, a dedução foi instantânea. Dessa vez com suas armas consigo, sacou dois pares de kunais e as distribuiu em ambas as mãos, caminhando lentamente até estar perto o suficiente para ver o corpo do atacante.

Era um velho. Um velho de túnicas desgastadas e com uma longa barba branca. Sua face soava extremamente amigável e distraída, você não queria acreditar que aquele senhor fosse o autor do ataque, preferia achar que fosse uma criancinha qualquer. Mas, novamente, foi surpreendido. O velhote girou em torno de si mesmo e uma grande sombra começou a se erguer atrás de seu corpo. Alguma coisa brilhante rodopiava no ar enquanto tomava a forma de um... dragão. Você suou frio. A grande massa que parecia ser feita de fogo se ergueu e avançou na sua direção como uma flecha. Você tentou se esquivar, mas fora lenta demais; foi atingida em cheio pela cabeça da fera e depois jogado contra uma das rochas do campo. Naquele momento você conseguia sentir o gosto forte de ferro escorrer pela sua boca; uma sensação de náusea carregou seus pensamentos estratégicos para longe, e a forte dor nas costas não ajudou em nada. Estava em apuros. O dragão avançou novamente contra sua direção, rugindo como se estivesse anunciando sua morte. Você fechou os olhos e esperou pelo seu fim.

Mas não foi o seu fim.

Sentiu seu corpo ser levado por uma plataforma rígida até o alto de uma das formações rochosas. O velhote que convocara o dragão acenou na sua direção e desapareceu numa nuvem de fumaça, ele lhe salvou. Agora que seu cérebro ficou realmente confuso. Como o mesmo homem que o atacou fez o favor de salvar a sua vida? Acho melhor pensar nisso mais tarde, pois o dragão não tinha ido junto com ele. Você arremessou as kunais que portava na direção do bicho e o atingiu com sucesso, mas o metal apenas tilintava naquela grande casca de chakra. Ao contrário do que achava, você não era a única ninja com Byakugan por aí, e alguma coisa lhe dizia que aquele velho podia te ensinar como controlar esta habilidade tão incomum, mas antes tinha que passar pelo seu teste.

O dragão te encarava sem demonstrar quaisquer emoções. Você tentava desvendar algum enigma, mas os olhos vazios da besta apenas demonstravam o quão ferida você podia ficar caso errasse algum movimento. Desejou que o bicho continuasse te olhando como naquela hora, mas o momento romântico havia passado e a fera avançou novamente contra seu pequeno corpo. De repente você fazia movimentos com os braços e pernas que imitavam uma dançarina, exceto pela parte mortal que lhe convém. Enormes correntes de chakra surgiam do ar e do solo e partiam na direção do dragão, que pouco a pouco perdia partes do seu corpo serpentino. Não fazia a menor ideia da onde havia tirado o conhecimento para usar aquelas técnicas, mas aquilo não importava no momento.

Deu um salto vertical para trás e inclinou seus braços pra frente. Uma aura azulada tomou conta de todo o seu corpo, você estava esbanjando energia. Então, no que parecia ser a última investida da fera, um grande pássaro de fogo se formou ao seu redor e avançou contra a besta, explodindo ambos em milhares de estilhaços.

A última coisa da qual você se lembra é de ser multiplamente cortada por alguns fragmentos dos constructos, e de cair suavemente no chão com uma face conhecida lhe observando.

Estava cansada demais. Fechou os olhos e abraçou as trevas.

_______________________

彼らはそれを魔法と呼ぶ
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: new road ~filler - 4/3/2018, 13:25

Filler aprovado
-
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: new road ~filler -

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.