Sobreviventes
Shaka retornou. O inimigo número um da humanidade num passado apagado da existência retornou ainda mais poderoso. Os fantasmas dos heróis que o aprisionaram no passado solicitaram a ajuda de guerreiros poderosos que estivessem dispostos a selá-lo na cadeia do tempo, porém, algo de errado ocorreu. Shaka não só conseguiu escapar dos inimigos como ainda corrompeu os fantasmas e roubou uma das três marcas sagradas do tempo. Enquanto isso, as vilas sofreram ataques massivos de seguidores da religião de Jashin, todos acreditando que Shaka é o verdadeiro deus da morte. Templos foram encontrados nos arredores de cada vilarejo e aos poucos foram derrubados. Mas o inimigo da humanidade não tinha apenas uma carta na manga; Kinarra, um demônio antigo, voltou do além buscando a destruição do mundo, entretanto, ao enfrentar os novos heróis da humanidade, acabou se aliando aos humanos até que Shaka reapareceu e a selou novamente mostrando todo o seu poder. O mundo se encaminha para uma era sombria ou de paz? Só o tempo dirá.
.
.
.
.
.
Últimos assuntos
» [B] Kuro
Hoje à(s) 20:33 por Mordred

» 4) Troca de Narrador
Hoje à(s) 20:32 por Ouni

» [Criação de Jutsus] Shiro
Hoje à(s) 20:32 por Shiro

» 3) Solicitações de Avaliação
Hoje à(s) 20:29 por Kamisama

» 2) Modificações de Ranks
Hoje à(s) 20:27 por DelRey

» [ Rank C ] Concurso de Ninjutsu
Hoje à(s) 20:27 por nujabes.

» FP; Priya Hansen.
Hoje à(s) 20:26 por DelRey

» [C.J.] Carl Johnson
Hoje à(s) 20:24 por Mordred

» [C.J] Note
Hoje à(s) 20:20 por DelRey

» [Solo] A velocidade da areia
Hoje à(s) 20:20 por Kamisama


floricultura da vila ~d

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

floricultura da vila ~d - em Qui 1 Mar 2018 - 13:47

As manhãs veronais de Kumo eram sempre as mesmas. Poucas nuvens assim que o sol raiava e o canto calmo dos pássaros que viviam por ali. Toda aquela paz e prosperidade me causavam estranhamento, não era sempre que a vila vem vivido em harmonia, especialmente depois das catástrofes que a assolaram e quase a destruíram. Não é ser pessimista, é ser realista; depois de tanto caos e guerrilhas era difícil lidar com o fato de que um novo regime estava sendo estabelecido e que, finalmente, os shinobis daqui poderiam desfrutar de um pouco de paz, mas isso não é assunto para eu me preocupar por agora.

Na verdade, um passarinho me informou recentemente de que havia uma kunoichi próxima ao centro que precisava de ajuda em sua floricultura. De início, só o pensamento de ficar horas rodeada de flores simplesmente para ganhar uma merreca me fazia rir, mas a lembrança de que me encontrava financeiramente quebrada me fazia chorar, então não tinha muito o que escolher. Comi uma refeição rápida, ajeitei minhas roupas usuais e prendi meus cabelos em um coque, partindo na direção da loja logo após.

Na fachada era possível ler o nome do estabelecimento: Campo Floral da Amy — um nome bem enfeitado, mas tudo bem. O cheiro forte das flores invadiu minhas narinas no momento em que coloquei o pé dentro da floricultura, não sabia ao certo a espécie de todas ali presentes, mas meu olfato conseguia reconhecer o perfume das lavandas, rosas, lírios do vale e margaridas (minhas preferidas, por sinal). A suposta dona do lugar, Amy, possuía traços finos e cabelos rosas, deveria ter uns catorze anos, no máximo.

— FINALMENTE! Ela exclamou. — Achei que não fosse chegar nunca! Veja bem, consegui arrumar a maior parte sozinha, mas preciso que despache os clientes enquanto vou até a estufa buscar mais produtos. Não levarei mais que uma hora, portanto, sinta-se à vontade. E saiu voando pela porta. Imaginava o tipo de pessoas que comprariam flores ali: românticos, pais, familiares em luto, tantos motivos diferentes...

O primeiro chegou assim que Amy saiu, um homem jovem de cabelos loiros e traje formal. Não falou nada, apenas me deu um cartão contendo seu pedido e cruzou os braços, me encarando. Arrogante, hein. Fui até o conjunto de rosas vermelhas e arrumei umas dezenas em um buquê, entregando-o ao rapaz logo em seguida.
— Aqui está, obrigada e volte sempre. Agradeci, com um leve toque de desdém.

O segundo cliente entrou na floricultura como que se não soubesse direito onde estava. Era um velhinho de aparência modesta e roupas comuns; ele se aproximou do balcão e me cumprimentou com um sorriso no rosto.
— Bom dia, moça bonita. Gostaria de comprar um jarro de margaridas, as mais bonitas que você tiver, são para minha esposa. Era bem mais simpático que o anterior, de longe. — É claro, senhor, só um minuto. Fui até o estande das flores requisitadas e as coloquei em um vaso azul, entregando-o ao velhinho logo após. — Prontinho, obrigada e volte sempre. E saiu dali com um sorriso no rosto.

O terceiro cliente chegou no mesmo instante que Amy retornara. Não sabia direito o que fazer, mas ela me agradeceu e disse que poderia ir embora. Não disse mais nada, passei um pano no meu rosto e saí dali.


Spoiler:
BOLSA DE ARMAS (20)
Kunai(s): 6 (6)
Fuma Shuriken(s): 1 (4)
Kibaku Fuuda: 8 (2)
Kemuridama: 2 (2)
Hikaridama: 2 (2)
Fios: 20m (4)
Spoiler:

Floricultura da Vila
Descrição: A garota que cuida da floricultura agora é uma Kunoichi (ninja) médica muito atarefada, sua missão é cuidar da Floricultura enquanto ela está fora! Se tem alergias a flores, use uma máscara!

Daenerys; HP: 200, CK: 200

_______________________

彼らはそれを魔法と呼ぶ
Kim
Chūnin
Chūnin
Ver perfil do usuário

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

resposta rápida

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto RPG Akatsuki (c) 2010 — 2019
Layout por Dorian Havilliard e Akeido.