>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Shinn
Genin
Shinn
Vilarejo Atual
Ícone : [Fillers] Shinn 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

[Fillers] Shinn - 22/1/2018, 12:47


HP: 200 CK: 225 ST: 3/3

Sem duvida nenhuma, Iwa com certeza era um local quente. Mas aquele dia se provava um dos piores. Era quase de tarde, o sol no alto se colocava imponente diante dos meros mortais abaixo dele, as nuvens não entanto pairavam de modo belo e calmo, elas seguiam a leve brisa que o vento proporcionava, lá no alto elas pareciam tão livres e sem nenhuma preocupação. E abaixo desse magnifico céu, Shinn procrastinava deitado sobre a sombra de uma pequena arvore em seu quintal, enquanto ele olhava para o céu ele sentia sua tamanha insignificância perante o tudo aquilo, e essa sensação lhe trazia um imenso desconforto.
Desde criança ele sempre gostara de observar o céu, e era o que ele fazia de melhor.

-SHINNNNNNN! -, alguém gritava seu nome enquanto caminhava pesadamente em sua direção, mesmo de longe ele podia sentir as vibrações do solo e reconhecer aquela voz, sabia que sua mãe o havia encontrado e ela parecia muito enfurecida. – Oh merda, não quero ouvir mais um de seus sermões, preciso sair daqui. O garoto então tenta sair furtivamente com alguns truques que ele aprendeu enquanto estava na academia, parecia que estava tudo indo muito bem, ele achava que sua própria mãe não o encontraria, mas esse plano obviamente encontrou em um terrível fracasso, sem ao menos ele perceber, sua mãe já se encontrava atrás do mesmo segurando seu colarinho. – Você é mesmo muito idiota se pensou que aquele jutsu fajuto vai funcionar contra mim, você estava subestimando muito sua mãe seu idiota. -  Com um movimento rápido com a mão ela acerta o topo da cabeça do garoto, que para sua surpresa se transforma em um tronco de madeira. - AH ESSE PEQUENO DESGRAÇADO, EU VOU MATAR ELE!

Nesse momento Shinn já se encontrava longe do alcance da sua mãe, ele sabia que não podia desafiar ela, afinal ela era uma ninja e uma das boas, quando ele voltasse ele tentaria contornar a situação. Ele sabia que a raiva dela era justificada, a muito tempo Shinn não ia para a academia ninja, na verdade ele achava que não precisava, tudo que lhe era passado ele já havia aprendido anteriormente com seu pai, a academia era uma verdadeira perca de tempo.

O clima dentro da aldeia era infernal, o calor fazia com que as grandes cadeias de rochas que protegiam a vila parecessem rios infinitos, Shinn pensava se no fundo aquilo fosse algum tipo de ilusão aplicado por um genjutsu, talvez o sol podia estar fazendo esse genjutsu, ele finalmente havia percebido que raça egoísta era os humanos e resolveu prender todos em uma poderosa miragem e frita-los até a morte. Esse pensamento sem sentido fez Shinn cair na gargalhada sozinho, no que ele estava pensando? Todo esse calor não fez bem para sua cabeça. Mas esse pensamento o fez questionar, mesmo se o sol não pudesse fazer isso, com toda certeza há alguém seria capaz.

Motivado a encontrar um novo local para descansar, Shinn seguiu em direção ao um local afastado da vila, próximo as montanhas lá ele sabia de um lugar perfeito para relaxar.
O lugar era como um oásis naquela região rochosa, um pequeno vale cercado pelas montanhas e colinas com um pequeno riacho que o contava de ponta a ponta e para completar meia dúzia de árvores umas próximas das outras de modo que fazia uma sombra perfeita. Aparentemente ninguém conhecia aquele lugar, o que fazia o local ser perfeito, o santuário do Shinn. Ou pelo menos era...

Quando Shinn chegou no local parecia que ele iria morrer, a caminhada pela vila o fez gastar suas ultimas forças, agora ele estava completamente ensopado de suor e seu único pensamento era entrar na água. Sem ao menos pensar o garoto tirou toda a sua roupa do corpo, correu para uma pequena elevação e se jogou no riacho, e enquanto ele estava caindo pode observar de canto de olho uma sombra, ao virar sua cabeça para o local sua visão se focou em uma senhora que pescava tranquilamente nas sombras da árvore, automaticamente Shinn envergonhado moveu suas mãos para cobrir sua região intima, mas o movimento no ar foi súbito demais e o fez perder equilíbrio que em consequência levou a uma queda feia, fazendo-o bater levemente sua cabeça nas rochas.

Algum tempo se passou enquanto ele estava desacordado, e quando ele acordou o sol já ia se pondo por de traz das montanhas. Com dificuldade ele se forçou a se sentar, sua cabeça ainda doía no local onde ele havia sido atingido, sua visão demorou a se adequar com a luminosidade do local e quando clareou Shinn pode perceber que ele não estava sozinho, a figura parecia aquela mesma senhora que anteriormente estava pescando, agora ela estava de costas para o Shinn, aparentemente tentando fazer uma fogueira, com um rápido selo de mão ela liberou uma pequena quantidade de fogo pela boca acendendo a fogueira, -Nossa... há ninjas onde você menos espera. Shinn estava surpreso com a situação, não eram muitos os ninjas que sobreviviam até aquela idade. A senhora parecia satisfeita consigo mesma, com a fogueira acessa ela pegou dois peixes já espetados em gravetos e os colocou sobre o fogo, ela parecia acostumada com aquela situação.

Shinn percebeu que estava com suas roupas novamente e não pode deixar de enrubescer, mas também se sentia agradecido, afinal ela havia cuidado dele.
– Uhm, muito obrigado me ajudar. – Shinn disse gentilmente. Mas a senhora pareceu não ouvir. – Oiii, senhora? Você esta me ouvindo? – Ela novamente o ignorou.
Confuso Shinn se levanta e se desloca para lado dela, a senhora que até então estava concentrada nos peixes muda de posição para observá-lo, em sua face um sorriso caloroso e acolhedor se esposava. Shinn abriu sua boca para agradece-la novamente, mas antes que ele pudesse falar alguma coisa a senhora esticou seu braço para frente de modo que dava a entender que era um “pare”, em seguida com o indicador ela apontou para sua garganta e orelhas. Shinn pode entender o que ela queria dizer. Assim ele resolveu não a questionar mais, e com um aceno de cabeça ele a agradeceu.

Enquanto o peixe assava, Shinn se sentou ao lado da senhora e se pôs a observar o fogo, e em pouco tempo já estava perdido nos próprios pensamentos. Ele só voltou a realidade quando a senhora colocou um peixe na frente dos seus olhos, por ficar o dia inteiro sem comer seu estômago começou a roncar loucamente, Shinn pegou o peixe e a agradeceu com um aceno de cabeça.

Aquele tipo de situação era realmente relaxante e sem perceber as horas haviam se passado. A lua já estava no seu ápice quando a senhora se levantou e apontou a saída do vale, ela queria dizer que já estava tarde, e já era hora de se recolher, Shinn concordava com ela, agora que estava recuperado devia ir para casa. Assim os dois seguiram seus caminhos, Shinn se despediu com aceno de mão e seguiu em direção a sua casa.

Já na sua casa, como estava tarde Shinn tinha que entrar de fininho sem que ninguém percebesse, seu plano primário era entrar pela posta dos fundos. Porem antes mesmo de passar pelo portão, ele sente um calafrio na espinha, seu instinto dizia para correr e assim ele o fez... ou pensou em fazer. Seu corpo estava totalmente paralisado, nas suas costas ele podia sentir a aproximação de alguém.
- Hehehe, agora eu te peguei moleque.

A figura sinistra se revelou ser sua própria mãe usando o Kagemane no Jutsu. - Agora você não escapa, Hahahahahaha. Ela dizia enquanto se aproximava com um sorriso maquiavélico no rosto.
(C) ROSS

_______________________

HP: ( 200 • 200 ) CH: ( 200 • 200 ) ST: ( 03 • 03 )
[Fillers] Shinn Latest?cb=20200228224350
-

Última edição por Shinn em 17/2/2018, 12:23, editado 3 vez(es) (Razão : Arrumar template)
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Fillers] Shinn - 22/1/2018, 12:53

@ Aprovado 100 Status
-
Shinn
Genin
Shinn
Vilarejo Atual
Ícone : [Fillers] Shinn 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

Re: [Fillers] Shinn - 5/2/2018, 21:20


HP: 200 CK: 225 ST: 3/3

Já se fazia um mês que eu havia encontrado aquela misteriosa senhora, desde então os dias se seguiam normalmente. Relutante voltei a frequentar a academia ninja, não porque eu queria, claro, fui obrigado por uma certa pessoa realmente assustadora.
A academia se mostrara mais do mesmo, ensinado coisas que todos já haviam aprendido. Me perguntava do porque aquilo ser tão importante ao ponto de ser obrigatório, aquele era um local onde os gênios se sobressaiam enquanto os medíocres se afundavam, não havia espaço para perdedores, e se você não fosse bom naquilo que te obrigavam a fazer nunca se tornaria um ninja, - Unf, que foi o estupido que criou esse sistema de merda?
Deixando a academia ninja de lado, os dias estavam mais chatos do que o normal, tudo estava um saco. O tedio era tão insuportável que me fez adquirir um novo hobby, jogar shogi, o jogo era bastante complexo e desafiador, tudo o a minha mente brilhante precisava para os dias tediosos.
Tudo começou quando meu pai o trouxe, em uma das suas missões vila a fora ele ganhou o tabuleiro de um mercador que ele ajudou a escoltar como forma de gratidão, por gostar de coisas desafiadoras ele o trouxe para casa. No começo eu não tinha interesse naquilo, mas ver meu pai raciocinando e fazendo estratégias chamou minha atenção, e aos poucos se tornou um habito.
Então o habito se tornou um vício, estava completamente viciado na sensação da vitória, me tornara imbatível naquilo, e aos poucos o vício se tornou novamente em tedio. Em pouco tempo ninguém era capaz de ganhar de mim aquele jogo, logo aquilo se tornou extremamente monótono. Assim os dias tediosos acabaram retornando, frequentava a academia regulamente e procrastinava o restante do dia apenas observando o céu em seu total esplendor.
Aquela sensação se mostrava sendo tão insuportável, imaginava se a qualquer momento eu podia enlouquecer, minha vida se tornara aquilo que eu mais odiava, e eu não fazia nada para mudar.
Aos poucos eu comecei a odiar tudo...
Assim 6 meses se passaram como se fossem uma eternidade. Meu treino ficou estagnado durante todo esse tempo, meus estudos não progrediram nada e por fim meus relacionamentos entraram em decline-o.
Em meio a esse turbilhão de trevas que parecia que não havia saída, um raio de espera floresceu.
Tudo começou em um dia aparentemente monótono, não havia academia nesse dia. Eu estava em casa utilizando da minha técnica com as sombras para brincar com os pequenos animais na redondeza, algo simples de se fazer quando você é um Nara.
Meus pais haviam saído para uma missão fora da vila e não ficara mais ninguém além de mim em casa. Fazia-se um dia nublado, o meu tipo preferido de clima.
Fazia um bom tempo desde que eu não ia no meu lugar especial, sentia falta daquele lugar tranquilo. O trajeto foi rápido, sem inconvenientes, em pouco tempo já o podia enxerga-lo.
Tudo parecia exatamente igual a ultima vez, tirando o fato que o pequeno riacho agora estava mais raso, provavelmente por causa do clima a água havia escoado um pouco. Mais o melhor ainda estava lá, aquela pequena arvore que proporcionava a sombra perfeita para repousar sobre ela. Sem hesitar fui a seu encontro. Boa parte do dia se passou sem que eu ao menos percebesse, e assim num piscar de olhos já era o entardecer, sobre as montanhas o sol dava seu ultimo adeus por aquele dia, e a lua subia para o céu dominar.
Lentamente o vale ia se enchendo com o breu, e em poucos minutos estava totalmente escuro. Eu não me importava com a escuridão, ela era de certa forma reconfortante. Se fosse em algum outro momento minha mãe com certeza estaria morrendo de preocupação, mas dessa vez não havia ninguém me esperando em casa.
- Ahhh, isso é muito solitário. O que eu to fazendo com a minha vida? – murmurei para mim mesmo.
Antes que eu pudesse responder minha indagação, próximo a mim os arbustos começaram a farfalhar, sinal que havia alguma coisa por ali. Em estado de alerta, busquei me concentrar em achar a fonte dos ruídos, mesmo com toda minha concentração não pude detectar nada nas redondezas. Talvez fosse apenas um vento, assim pensei. Já estava voltando a relaxar quando alguma coisa surge em minha frente, estava a quase 10 metros da mim, mesmo em total escuridão eu podia ver vagamente seu semblante, aquela figura se parecia com um humano. O que ele fazia ali essa hora da noite!? Será que estava atrás de mim? Não ninguém que eu conhecesse se importaria com algo assim.
Durante 5 minutos a figura ficou parada apenas observando, teve tempo suficiente para atacar se quisesse, mas não o fez. Mesmo que a figura não tivesse intensões hostis, o simples fato de ficar lá parada me dava calafrios.
Relutante me convenci que precisava me aproximar para ter certeza que aquela figura era realmente humana, corria um boato pela vila que existia um espirito errante pela vila. Não que eu estivesse com medo é claro, mas só pra ter certeza, eu tinha que ver com meus próprios olhos.
- O-olá, você pode me ouvir? – Minhas mãos suavam frias cada vez que eu chegava mais perto, meu coração palpitava rápido e forte o suficiente para ser ouvido por alguém próximo a mim, minhas pernas começaram a fraquejar, cada passo que eu dava um pingo de suor escorria pela minha espinha. – Hahaha, d-do que eu to com medo? Isso não pode ser real, pode?
Estava apenas a alguns passos da figura, ela repentinamente começou a se iluminar, primeiro em tons de branco, seguido por um azul. Aquilo foi o suficiente para me fazer parar, e pouco a pouco recuar de forma beeeeem lenta. Havia conseguido uma certa distância da criatura, próximo ao meu ponto inicial, já estava preparado para correr o mais rápido que eu podia, foi quando a criatura desapareceu e reapareceu bem perto de mim, o choque me fez esquecer qualquer coisa sobre ser furtivo, sem pensar duas vezes segui correndo o máximo que eu podia na direção contraria a criatura. Parecia que eu havia ganhado a vantagem sobre ela, ou talvez ela apenas me ignorou, qualquer umas das opções estava ótimo para mim. Mas agora havia outro problema, talvez até mesmo maior que o anterior... eu estava completamente perdido na escuridão.
(C) ROSS

_______________________

HP: ( 200 • 200 ) CH: ( 200 • 200 ) ST: ( 03 • 03 )
[Fillers] Shinn Latest?cb=20200228224350
-

Última edição por Shinn em 17/2/2018, 12:21, editado 1 vez(es) (Razão : Arrumar template)
Isa.BR
Jōnin
Isa.BR
Vilarejo Atual
Ícone : [Fillers] Shinn 100x1010

https://www.narutorpgakatsuki.net/t68924-ficha-pandora-heinstein

Re: [Fillers] Shinn - 5/2/2018, 21:51

Aprovado o filler. 100 de status obtido UP do mês

_______________________


Gastos e Danos de Jutsus:
Rank E: 00(10un) & 00;
Rank D: 10(10un) & 25;
Rank C: 25(30un) & 45;
Rank B: 50(50un) & 70;
Rank A: 100(100un) & 140;
Rank S: 200(200un) & 280;
Mortais: Variável & 560
Rank -: 75 & 90.
-
Conteúdo patrocinado
Vilarejo Atual

Re: [Fillers] Shinn -

-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.