>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, mas simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Verão

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Filler] Aburame Shinra - em 28/10/2017, 02:29

Havia descansado bem depois de meu ultimo treinamento e quando me acostumei com a ideia de que teria um dia tranquilo, minha mãe acorda mal da saúde. Estava agora no centro de Konohagakure no Sato, havia saído para comprar camomila. Em um dia de cão, te deixa calminho, calminho. Eis que me deparei com a situação de um garotinho solitário, enquanto outros garotos, próximos a ele e de sua faixa etária brincavam ao seu redor e ignoravam, por completo, a sua presença. 

~~ INICIO DO FLASHBACK ~~ 

Era 6 de março, primeiro dia de aula na academia. O professor, como de praxe, solicitou que nos apresentássemos individualmente. Foi o primeiro, o segundo, o terceiro, quarto... Até que finalmente chegou minha vez. Levantei-me, de onde mesmo estava sentado. – Prazer, meu nome é Aburame Shinra. – Apresentei-me de modo tímido. Mal sabia a delicada situação em que estava me colocando ao me apresentar como um membro do clã Aburame, e foi aí que tudo começou. – O garoto dos insetos. – Dizia uma voz ao fundo. – Credo, que nojo. – Dizia uma outra voz, feminina. – Aberração. – Dizia outro, indo ainda mais longe. Iniciou-se naquele instante, uma complexa perseguição. Em sala de aula eu não tinha um colega sequer que ousasse a se aproximar de mim, no intervalo, eu não tinha paz, e para as atividades coletivas, dificilmente era incluso em uma. Tudo isso pelo preconceito ao fato de que membros do clã Aburame lidavam com insetos. 

Se na academia estava um caos, em casa eu recebia o apoio de meus pais. Eles me explicaram que a maldade não estava nos comentários das outras crianças, mas sim nos pais que instigavam o preconceito na cabeça de seus filhos. 

No inicio eu nunca fui bom em controlar os insetos, tanto que acidentalmente ataquei um de meus colegas de classe na academia ninja. Lembro-me de tudo, desde o garoto ensanguentado, até o olhar de desaprovação por parte de meus outros colegas. Depois dessa ocasião as coisas só piorariam para o meu lado, fui tratado como um pária, pois as outras crianças tinham muito medo de se aproximarem porque achavam que meus insetos poderiam atacá-los do nada. O que era um pensamento muito errado.

Eu fiquei muito confuso depois dessa situação, e então fui proibido de treinar fora do alcance territorial do clã Aburame, naquele mesmo ano dei um tempo com os estudos e passei boa parte da minha infância trancado atrás das delicadas paredes do clã. No entanto, como minha vida ficou livre de distrações externas, minha habilidade como Aburame foi permitida a prosperar sem diversões não essenciais. Eu tentei ao máximo, usar de toda essa situação para benefício próprio, como uma forma de motivar meu progresso. Os anciãos do clã Aburame me prometeram, que uma vez que eu crescesse um bom Shinobi e tivesse dominado os insetos que viviam dentro de mim, eu teria permissão para sair. 

Com essa promessa em mente, durante muito tempo, treinei arduamente, sem pausa, passei noites em claro estudando conceitos de anatomia e não apenas treinei, mas fiz com que meus insetos se divertissem muito a cada treino, a cada instrução, até que finalmente me aceitei de uma vez por todas e consegui felizmente estabelecer um domínio sobre as criaturas que moravam dentro de mim, podendo finalmente controlá-los à vontade e dar-lhes comandos sem risco de resistir. Havia concluído um ciclo muito importante de minha vida e junto a isso, este foi um bom dia para o meu clã, que sentiu que meu trabalho árduo finalmente havia se tornado frutífero. 

No ano seguinte, retornei para a academia. Novamente, fui recebido com receio por parte dos meus colegas, mas agora eu tinha outra mentalidade. Nessa tarefa, contei com a ajuda dos meus pais. Eles vieram até a academia e então explicaram o porquê de me levarem a treinar em separado dos demais, tudo isso para aproveitar ao máximo as criaturas que viviam dentro de mim e que durante todo o tempo eles achavam que era necessário manter a informação em segredo de todos até o dia em pudessem me apresentar novamente, de uma melhor maneira, e alegaram que tinha sido a única intenção desde o início. 

Enquanto meus colegas não pareciam compreensivelmente excitados pelo Clã Aburame, eles não podiam negar que minha educação me tornaria único para se tornar parte de seu grupo de trabalho pessoal e que minhas habilidades eram altamente adequadas. Assim, aos poucos, foram permitindo que me juntasse a classe. Em sala de aula, um ou outro mostravam interesse em saber um pouco mais de meus insetos. Nas atividades, eu já conseguia me encaixar. As coisas felizmente estavam começando a se encaixar. 

Certo dia, o professor chegava a sala, atrasado, sua respiração estava dispneica. – O-olá, meus alunos, desculpem-me o atraso. O gato da diretora da academia escapou e essa é a primeira missão de vocês. Ajudar a encontrá-lo. – Em minha sala, haviam Yamanaka, Inuzuka, Nara, Lee, Hatake e até Hyuga. Mas, foi eu, o felizardo, que com a ajuda de meus preciosos insetos, consegui encontrar o bendito gato. A estratégia que usei foi basicamente informar-me com os insetos da região, e confesso que não tive muitas dificuldades. Encontrei o gato, brincando, ao tentar pegar um inseto voador. 

Em posse do bichano, voltei para a academia e entreguei para a diretora. – Uau!! Shinra conseguiu. – Dizia um. – Incrível como ele tem domínio de seus insetos. – Dizia outro. – Que lindo. – Dizia uma voz feminina. As palavras maldosas de antes, davam lugar as palavras de afeto. Os alunos me receberam com sorrisos nos rostos e felicitações. Apesar de tímido, eu estava mais popular do que nunca e o melhor é que me sentia completamente incluso. 

~~ FIM DO FLASHBACK ~~ 

– Ei amigo, quer brincar? – Dizia um garoto mais velho para o solitário menino. Fazendo com que minha preocupação desaparecesse por completo. Ele estava acompanhado por outros três garotos. Eles começaram a brincar e nesse instante abri um sorriso de orelha a orelha. Voltei aos meus afazeres, comprei a camomila e voltei para casa. No caminho de volta, observava tudo com outros olhos, era sempre bom relembrar os antigos momentos. Retornei para casa, a água já estava fervida, só tive o trabalho de entregar a camomila e esperar pelo chá e uma nova missão.

HP: 200/200 CH: 250/250

Considerações:
1.038 palavras no meu contador. Filler de status. Minha fala é em verde.
-
Asa
Genin
Asa
Vilarejo Atual
http://narutorpgakatsuki.net

Re: [Filler] Aburame Shinra - em 28/10/2017, 12:28

aprovado

_______________________

Ficha
Banco
Mudanças
-


Edição de Natal por Loola e Senko.