>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Iris
Chūnin
Iris
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] Fortalecendo Laços. 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

[Filler] Fortalecendo Laços. - Qui 26 Out - 21:46

– Quando é que você ficou tão fraca? Éramos eu e Anna. A paisagem que nos agraciava era um campo plano, sem vegetação rasteira mas com algumas árvores. O Sol que fazia em Kumogakure era totalmente incomum, e os ventos que sopravam forte, também. Aquele era um dia atípico, em todos os sentidos. – E quando é que você ficou tão petulante? - A menina perguntou de volta, rindo sarcasticamente e partindo para cima de mim com mais um dos seus socos revestidos de chakra. – Oh! - Exclamei, desviando por muito pouco daquele golpe, e arrependendo-me de ter perguntado aquilo para Anna. É hoje que eu morro! Por que caralhos eu tinha me prestado ao papel de questionar a força daquela porra? Era inquestionável o quão Anna era forte e incrivelmente melhor que eu em taijutsu, sendo que era exatamente isso o que estávamos treinando. Meu Deus! Assemelhava-se a um guepardo de tão rápida, e a um mamute de tão forte; Não havia chances de competir, mas eu era louco o suficiente para continuar tentando feri-la. Ela nunca se distrai, afirmei mentalmente, depois de desviar de mais um golpe e tentar desferir outro.

Socos, chutes, rasteiras, voadoras, pontapés e até mesmo petelecos foram parte do que aconteceu entre eu e ela, mas é óbvio que eu saí perdendo. – ESPERA! - Gritei. – Espera! Espera! Eu acho que é legal nós darmos uma pausa agora, não? Que nada. Girando o seu corpo em sentido horário, a perna direita de Anna subiu à altura do meu rosto com uma força tamanha que, mesmo ativando meus reflexos e defendendo-me com o braço, fui arremessado para longe. – Jamais abaixe a guarda. Você deveria ter aprendido isso na academia, Olly! – Argh... Argh! - Gemi, revirando-me no chão de maneira excessivamente dramática. – Tem condições de você parar com esses joguinhos, cacete? Toda hora que eu resolvo abrir a minha boca no meio de um treino você me machuca! Anna riu muito, e muito alto, também. – Que porra é essa, hein? Tá parecendo uma criança, cara! Quantos anos você tem? É isso o que te levou à assistência da Raikage? Meus pêsames, Rukia-sama! - Terminou, juntando a palma das mãos e elevando-as aos céus. – Eu tô zoando! Nem doeu tanto... Tanto? Isso significa que doeu? Mas eu nem... Olhei feio para ela, fazendo-a admitir que havia sim imprimido força no golpe. – Tá bom, vai... Foi só um pouquinho!

[...] – Que legal! Deve ter sido ótimo não precisar passar por toda aquela burocracia do exame, não é? – É... Para falar a verdade foi, sim... Mas eu até que queria testar as minhas habilidades, na época... De qualquer forma, eu não podia desperdiçar uma missão dessas né, bicho? – Sim, sim! Nós caminhávamos em direção a uma sorveteria, depois de termos retornado dos arredores de Kumo para o centro comercial da vila, de onde partimos cedo, cedo. Conversávamos sobre o episódio que me posicionou em tal graduação de chunnin, e Anna demonstrou uma felicidade tremenda por saber como tudo aconteceu, parecendo querer estar lá comigo, em Iwagakure no Sato. – Eu quero três, com três bolas de baunilha em cada e com cauda de chocolate em todas, e cauda de chocolate extra, também! Uma amante de avelã. – Eu quero dois, um com uma bola de chocolate e uma de baunilha, e outro com duas bolas de morango. Ambos com cauda de chocolate, sem extra! Uma das melhores coisas para se fazer naquele calor era apelar para os gelados, e ali na vila somente o que havia de mais frio eram esses sorvetes, maravilhosos por sinal. – Obrigado! - Agradecemos em uníssono, pegando os sorvetes depois de entregar o dinheiro. Não foram muitos ryous. – Certeza que isso aqui vai derreter antes de eu conseguir... Enquanto eu falava, Anna já tinha terminado com uma das suas três bolas de um de seus sorvetes. – Antes de eu conseguir terminar de comer... Caralho, garota! Tu é esfomeada, ou o quê? – É melhor ficar quieto se não quiser levar outro chute daqueles! - Falou, de boca cheia.

Nós nos sentamos em uma das mesas da sorveteria e comemos sem falar nada, deixando-nos saborear da melhor maneira possível aquelas dádivas. Eu não conseguia me lembrar de ter comido algo com tanto prazer há bastante tempo, e por isso fiz questão de, depois de acabar, ir comprar mais um daqueles sorvetes de duas bolas de sabores diferentes. – Já eu vou querer mais três! - Anna afirmou, entregando-lhe mais alguns ryous. Ela comia demais. – É impressionante que você não engorda, né? Se bem que eu nunca compreendi pra onde é que vai tanta comida! – Eu mal termino de comer e já vou... – Não, não, não! Não precisa terminar! A gente pediu mais! Ainda vamos comer, então eu prefiro não ouvir os detalhes mais sórdidos, por favor! – Ah, Olly, como você é fresco, eu hein! Ia falar que mal termino de comer e já vou comprar outro... né? Isso também me surpreende... Não consigo responder como é que eu não engordo... Eu nem me exercito muito! Caralho, se ela não se exercita muito, quem dirá eu, então?, pensei, recordando-me de já ter visto papéis médicos indicando um aumento de massa muscular considerável no corpo de Anna depois de uma bateria de treinos. – Bom, eu terminei! Assim que você quiser, a gente volta! – Voltar pra onde? Você não espera que a gente treine de novo depois de eu ter comido SEIS sorvetes, não é? – Quem quis comer seis sorvetes foi você! Eu te falei que voltaríamos a treinar, depois daqui...! – Pois eu sinto muito: Não vai rolar! - A mulher afirmou.

– Tá entregue, javali! - Xinguei, fazendo uma analogia entre o tamanho da pança de Anna ao tamanho do animal. Mais uma vez me arrependi. Eu não queria ter levado um cascudo daqueles. – Ai! – Você deveria aproveitar melhor as suas oportunidades de ficar calado, embuste! – Ai! - Continuei resmungando. – Quando é que a gente volta a treinar, agora, hein? Você sabe que eu ainda sou cheio de defasagens em taijutsu... – Eu nunca vou me cansar de dizer que acho isso estranho... Você é ótimo com genjutsus e eles exigem um controle de chakra maior que o normal, e você não consegue lidar com a concentração de chakra em taijutsus... Bom, a gente pode treinar depois de amanhã! Tudo bem pra ti? – Tá... Tá bom, vamos sim! Despedi-me de Anna com uma das mãos no galo que foi criado e a outra cercando o seu corpo num meio abraço, após beijá-la na bochecha. – Se eu não aparecer, é porque esse galo criou vida, de tão grande! Exagerado. Como sempre.

Olly, HP: 325/325; CH: 800/800; ST: 05/05; VEL: 18 m/s.

Taberu (Lendária), RES: 350/350.

Considerações:
1086 palavras. Almejo apenas +100 de status. Com o evento, +200.

Taberu:
[Filler] Fortalecendo Laços. 441058-13_shura_with_sword
[Filler] Fortalecendo Laços. Pkk7NK9
Taberu
(Devoradora)

Espécie: Lendária.
Rank: S.
Descrição: Quando mais nada existia, mesmo antes de buracos negros surgirem, de as galáxias se formarem e de poeira cósmica se espalhar, Kūsō, A Personificação do Vazio, sentindo-se afoito pelo escuro da solidão, criou e, mais tarde, conspirou contra as vontades de Sōkū, O Deus de Tudo e Todas as Coisas, de fazer nascer a sua primeira dádiva: Jinsei, o universo como conhecemos hoje, proferindo que somente a existência de seu filho era o suficiente para lhe arrancar o seu título e proporcionar deleite. Insatisfeito, Sōkū e Kūsō formularam a primeira briga de toda a vida, e com ela trouxeram, a cada conflito de suas armas, a criação de centenas de realidades capazes de abrigar diferentes partes das suas personalidades, confrontando até que quase nenhuma delas sobrasse.

Alimentado pela vontade e pelo orgulho, Sōkū acabou vencedor e, como prêmio, recebeu o comando de todo O Primeiro Plano, a realidade em que vivemos, e seu pai, Kūsō, ficou com os cenários difusos, cheios de crises, confusão, escória e nada, absolutamente nada, assim como eram as coisas antes de o nascimento da sua cria. Revendo suas atitudes, arrependeu-se de não usufruir de toda a potência contra O Deus de Tudo e Todas as Coisas e, por isso, desobedeceu o trato que dizia não poder transpassar as barreiras do Segundo Plano, lançando mão da sua presença para conseguir se infiltrar em uma parte do Mundo de Cima e dar um fim a tudo, novamente. Mas as forças resistentes eram muito poderosas e, assim, ao invés de se transportar por inteiro e se vingar, precisou se resumir a uma mera espada violeta, com os seus nove olhos a adornando e vigiando o império de Sōkū, a pior ingratidão que lhe aconteceu.

Agora como uma arma, Kūsō carregava consigo a maior energia vital de todas, possibilitando de amplificar em tamanho e poderio o que viu ser apelidado, pelo humano que a empunhou, de Taberu, A Devoradora. Sorrateira e furtiva, a espada se tornou capaz de adaptar seu feitio a quaisquer que fossem as habilidades de quem a comandasse, justamente porque A Personificação do Vazio era O Pai de Tudo e Todas as Coisas. Esbanjando vigor, aliou-se de maneira ímpar ao seu dono e, finalmente, Kūsō pôde se considerar liberto da solidão que tanto temia e doía, proporcionando ao espadachim um presente divino: o diálogo com o dono da primeira expressão de som já existente, do primeiro eco rebobinado e da maior intensidade sonora conhecida, conduzindo seus adversários a uma temível destruição auditiva.

Hoje, distanciado de ódio e rancor, Kūsō permite ser empunhado com a intenção de destruir todas as partes da personalidade de seu filho, inclusive o próprio manipulador de Taberu, na tentativa de purificá-lo inteiramente do mal que lhe acometeu assim que A Maior das Guerras, o episódio em que Kūsō e SōKū batalham, aconteceu. Quando concluído esse objetivo, A Personificação do Vazio fará com que tudo retorne aos conformes e, por último, desapareça, impedindo todas as coisas de experimentar o que ele um dia experimentou: o escuro da solidão, crises, confusão, escória e nada. Absolutamente nada.

Kūsō, reconhecendo a necessidade de um juramento de fidelidade como garantia da sua servidão, somente se deixou compreender depois de aplicar sobre o peito de seu espadachim um selo escrito em romaji: オメン, ou Omen, que significa "Presságio". Tal marca garantiria a vida do manipulador ao manipulado, tornando-o o armazém de Taberu, A Devoradora, que apenas poderia ser retirada através do selo e do bel prazer daquele que jurou, com a recitação da frase "Transcenda o vazio, e mate o medo: Devore!". Enquanto resguardada no seu portador, a arma consegue ser destruída caso este morra e ela fique a mercê do dano inimigo.

A Devoradora possui um tamanho padrão de sessenta centímetros e uma lâmina absolutamente reta e de um único fio, com uma proteção quadrada e base longa para acomodar as mãos. Sua coloração semeia entre o violeta e o púrpura, e a superfície do corte tem nove íris de coloração verde musgo te observando. A ponta da arma é pouco curvada e, o que diz respeito a sua força, capaz de cortar tudo e todas as coisas. Suas habilidades variam desde manipulações de energias elementares até despertar de técnicas ilusórias afrontosas ou ninjutsus que moldam o chakra no formato de cobras. Como um talento secundário, existe a aptidão de ampliar em tamanho e, consequentemente, poder, podendo duplicar ou triplicar todo o dano e o alcance de suas técnicas. A bainha original da arma é o corpo de seu espadachim, mas há também uma outra, inteiramente preta fosca, para que este não precise se preocupar em devolvê-la para o seu corpo no meio de um combate. Caso o seu manipulador morra, a alma é devorada por Taberu, A Devoradora.

Bolsa de Armas:
[Filler] Fortalecendo Laços. 2666.png?v=2.2 [03] Kunais;
[Filler] Fortalecendo Laços. 2666.png?v=2.2 [06] Shurikens;
[Filler] Fortalecendo Laços. 2666.png?v=2.2 [11] Kibaku Fuuda;
[Filler] Fortalecendo Laços. 2666.png?v=2.2 [10m] Fio;
[Filler] Fortalecendo Laços. 2666.png?v=2.2 [02] Ampolas (1 de veneno e 1 de medicamento).

_______________________

[Filler] Fortalecendo Laços. Tumblr_inline_p7fx92IUtt1s0xpld_250 [Filler] Fortalecendo Laços. Tumblr_inline_p7fx8xWfwc1s0xpld_250 [Filler] Fortalecendo Laços. Tumblr_inline_p7fx93pLrl1s0xpld_250
IRIS  LYNDALL

_
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler] Fortalecendo Laços. - Sex 27 Out - 19:21

Parabéns, mais 100 de status adquiridos, com o evento: 200
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.