>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Akemi Yuki
Chūnin
Akemi Yuki
Vilarejo Atual
Ícone : [Filler] - Não toque em mim. 100x100

http://narutorpgakatsuki.net

[Filler] - Não toque em mim. - Sex 13 Out 2017 - 10:52



❝ This is for long-forgotten
Light at the end of the world
Horizon crying
The tears he left behind long ago ❞
CH: 700/700 HP: 400/400 ST: 00/04

Dentro de um pequeno quarto, no interior de uma grande residência, encontrava-se uma garotinha dormindo, ou pelo menos tentando. Suas roupas simplistas deixaram evidente que era bem humilde e não apresentava qualquer tipo de luxo. Esta era Akemi, que sozinha em seu quarto no orfanato parecia tentar dormir, quando na realidade era algo muito difícil. A menina tinha agora cinco anos de idade e apresentava muita dificuldade de dormir sozinha, mas graças a um pouco de regalia, Madame Yora havia dado a ela um pequeno quarto exclusivo, o que na verdade gerou discórdia a respeito disso, pois as outras crianças ficaram enciumadas por este fato, deixando-a completamente excluída de todas as atividades que se sucediam no dia a dia dos jovens. Graças a solidão e a algumas ameaças feitas por parte de alguns meninos e meninas mais velhos que ela, a Yuki passou a ter muito medo de ficar sozinha, com isso teve que se acostumar a passar bastante tempo acordada até altas horas da noite, por ter receio de ficar só em meio as longas tempestades noturnas. Coisa que era bem comum ocorrer por conta da área chuvosa que recobria toda aquela ilha e o vilarejo de Kiri. Em uma noite tortuosa, novamente a Yuki se encontrava no mesmo dilema, não podia recorrer a Yora e pedir ajuda, não podia contar com a compreensão dos demais garotos e garotas do orfanato e não podia lidar só com seu medo infantil de trovões e relâmpagos, certamente isso a deixava chateada, mas firmemente não deixava de tentar parecer forte.

As horas se estendiam até a madrugada, exausta a menina não conseguia pregar os olhos já fazia muito tempo. Foi quando finalmente conseguiu cochilar, que algo terrível aconteceu. Dois garotos e uma menina, todos mais velhos que a Yuki, levantaram na madrugada escondidos e saíram de um dos quartos comunitários do abrigo, eles tinham em mente pregar uma peça na menina de cabelos azuis, pois a consideravam uma menina privilegiada, o que de fato, não era bem verdade. Levavam consigo uma tesoura, um pano longo e capuzes improvisados por fronhas de travesseiro. Assim que os três entraram no quarto da menina, ela estava dormindo, tão desgastada pela tempestade lá fora que em seu rosto olheiras poderiam ser vistas facilmente. Num movimento sutil, os garotos puseram seus capuzes e então a menina mais velha se escondeu em baixo da cama, embora silenciosos eles pareciam rir entre um trovão e outro, o que dificilmente seria percebido, graças ao som da chuva forte batendo contra o telhado do abrigo de menores. Sem delongas, um dos garotos de cabelos levemente castanhos se aproximou de Akemi sorrateiramente, com o capuz devidamente em sua cabeça, ele não demorou muito em colocar o longo lençol branco sobre o próprio corpo, parecia um fantasma e era exatamente isso o que ele queria, o outro rapaz, um pouco gordinho e de cabelos negros também fez o mesmo e partiu dele a iniciativa travessa de prender com força os braços da Yuki contra o colchão.

Com o susto, por um instante a menina ameaçou gritar, mas teve sua boca tampara pelas próprias cobertas graças ao outro jovem. Completamente presa naquela situação, a menina que já estava assustada e tão cansada, teve que se contentar em não deixar de lutar, se debatia o máximo que pode para tentar sair, mas nem ao menos tinha força suficiente para ganhar no braço de dois rapazes com dois ou três anos mais velhos que ela. Clamando por misericórdia mentalmente, a menor acreditava que pudessem ser realmente fantasmas a assombrando. "Socorro! Parem por favor eu não fiz nada. Por favor, não toque em mim!" implorou miseravelmente sem poder fazer nada além de tentar chutar ou socar algum dos agressores. As risadas pareciam aumentar, pois para eles, tudo não passava de uma brincadeira, mas para a pobre menina, não. Já cansada demais para tentar lutar, e com os braços doloridos por ser segurada com tanta força a criança cessou os movimentos do corpo, o que chegou assustar os rapazes por alguns instante, pois pensaram que a haviam machucado. A menina não demonstrava mais nenhuma reação, apenas mantinha-se com os olhos abertos, sem derramar uma lágrima sequer, aceitando sua triste condição de não poder se defender, nem ao menos gritar. A brincadeira continuou por alguns minutos, até que a menina que se escondia em baixo da cama saiu coberta por um pano, sem revelar sua verdadeira identidade ela pegou a tesoura que que trouxe consigo e começou a cortar as madeixas de Akemi. Seu grande carinho pelos cabelos a fizeram por um instante quase desmaiar de ódio, mas conteve-se e fechou os olhos enquanto era maltratada, não conseguia mais parar de pensar e se perguntar quando tudo aquilo iria acabar. Sem dúvidas aquela peça travessa havia passado de todos os limites cabíveis.

Terminando com a travessura, eles se afastaram da menina que teve seu cabelo cortado um pouco acima da altura dos ombros, fizeram questão de cobrir o rosto da garota por uns instantes e limparam todos os fios de cabelos  do chão, pois não queria ser incriminados na manhã seguinte. Quando o dia amanheceu em Kiri, o tempo estava um pouco melhor, já não chovia, mas apenas permanecia com o clima enevoado de sempre. A menor não havia conseguido dormir nem um pouco. Envergonhada, não se levantou da cama até que Yora sentiu sua falta no salão principal da pensão. Indo para o quarto da menina, Akemi estava completamente abatida, com muita vergonha do que aconteceu a seus cabelos, Yora tentou encontrar motivos para que a Yuki fizesse aquilo a si mesma, mas foi ao olhar em seus pulsos que a mulher se assustou. Em ambos os pulsos marcas de hematomas, causados pelos fortes puxões e pressão das mãos dos meninos a marcaram, eles haviam se esquecido que eram muito mais forte do que Akemi e por isso a mulher idosa já sabia que era causa de uma brincadeira de mal gosto todo aquele transtorno. Mais tarde foram encontrados os culpados e punidos com um belo castigo de dois meses tendo que limpar o orfanato, mas a pequenina nunca mais foi a mesma, se isolou e pegou receio de todos os estranhos que se aproximavam dela, não deixando nem mesmo Yora a tocar sem aviso prévio. Também passou a ficar muito vaidosa, tímida, além de nunca mais ter cortado os cabelos, deixando-os grandes até os dias atuais, depois que se tornou ninja.


Considerações:
Roupas: Aqui
Bolsa de Equipamentos presos à cintura, atrás e do lado direito.

Nota:
Equipamentos:
Fios: vinte metros;
Shuriken: cinco unidades;
Kunai; cinco unidades;
Kibaku Fuuda: sete unidades;
Hikaridama: uma unidade;
Kemuridama: duas unidades;
Ampola: uma unidade.

_______________________

| Ficha | Banco | Status | M. de Ficha | Criação de Jutsu | Compra de T. |
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Filler] - Não toque em mim. - Sex 13 Out 2017 - 11:21

@Aprovado, 200 de status
Nota: Muito sad, chorei
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.