>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Inverno

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

[Fillers]My Immortal Suffering - 12/6/2017, 16:05


PROLE IMORTAL

Mais uma manhã nublada e cinzenta. O sol já não me impressiona mais, assim como nada na vida me surpreende. Estamos falando dos velhos tempos, uma época mais sombria e inquieta da minha história, quando eu ainda não era um ser imortal como atualmente. Minha primeira memória é de acordar sobre os braços de minha mãe, quando ela ainda era uma mulher gentil e atenciosa, me mimando e cuidando de mim como uma mãe deveria cuidar. Os pássaros cantavam nos galhos enquanto o cinza da neblina penetrava as pequenas janelas da carroça em que viajávamos. Meu pai no controle, guiando os cavalos — que ainda posso ouvi-los relinchar, nos levando para algum lugar estranho, como de costume.

Eu dormi, dormi por algum tempo — como uma criança fraca e doente faz. Meus pais se envolveram nesse maldito culto, fazendo com que enxergassem o mundo de forma diferente, uma forma perturbada e maliciosa. Eu perdi minhas esperanças neles, assim como eles já haviam perdido suas esperanças em mim há muito tempo. Um garoto doente, depois de um aborto natural, eu imaginei o sofrimento que meus pais passaram, mas isso já era demais. Todos os dias, eles saíam para rezar, em grandes palcos de mármore, com todos os outros membros da religião. Eles não se importavam com minha fé, eles acreditavam que uma hora eu enxergaria a grandeza de seu Deus e começaria a orar junto deles, mas eu já não tinha fé em nada, então esse dia nunca chegou. Eu passava a maior parte de minhas tardes sozinho, entediado e cansado de tudo, até ouvir de uma senhora, que morava perto, da existência de uma biblioteca grande e repleta de livros interessantes, ali mesmo, dentro do grande templo. Não perdi meu tempo, numa tarde em que meus pais saíram como de costume, aproveitei para dar uma volta por lá, tentando aproveitar melhor o meu tempo, talvez com livros ilustrador ou gibis.

Uma biblioteca grande, grande para que um garoto pequeno como eu dificilmente pudesse ser percebido. Entrei lá pela tarde, pouco depois do almoço, e se me lembro bem, só fui sair de lá durante o pôr-do-sol. As janelas dificilmente passam luz solar, fazendo com que muitas velas tenham que ser usadas, mesmo durante o dia, criando a ilusão de que o tempo nunca passa. Fiquei lá olhando a grande área de literatura, lendo alguns bons livros. Os livros de literatura, com grandes fotos e figuras eram meus favoritos, já que minha imaginação nunca foi lá essas coisas. Mas se me lembro bem, acabei esbarrando em um senhor durante minha aventura, fazendo com que derrubasse os pergaminhos que levava. Os enormes rolos amarelados, com entalhes em prata se espalharam por todos os lados, inclusive para debaixo das estantes de madeira talhada.

Foi assim que conheci Hagrid, um de meus únicos verdadeiros amigos por lá. Ele era alto — mais alto do que eu, mas ainda assim deveria ser considerado baixo, comparado aos outros adultos de lá. Ele era barbudo, com uma enorme barba negra que descia até a barriga, cobrindo um pouco de sua gordura, mas não enganando ninguém. Ele riu da situação, não ficando bravo ou reclamando, apenas sorriu para mim e brincou — Poxa, que descuido o meu. Você está bem, jovenzinho ? Se machucou ?. Eu não soube reagir, não havia encontrado adultos que não fossem reclamões ou chatos com tudo que fizesse. Apenas balancei a cabeça, de um lado para o outro, indicando que estava bem. Ele riu uma vez mais, ficando aliviado — Você não pode me ajudar a recolher estes pedaços velhos de papel ? Preciso deles para fazer uma pesquisa. — requisitou. Balancei a cabeça mais uma vez, indicando que o ajudaria.

Fui atrás dos pergaminhos mais escondidos, que rolaram para debaixo das prateleiras em que ele não conseguiria entrar, por causa de sua enorme barriga. Tendo pego todos — ou pelo menos acreditava que sim — entreguei-os para que ele pudesse seguir com suas atividades, sendo então agradecido com um pequeno pedaço de chocolate que ele levava embalado na bolsa que ficava na cintura. Ele se despediu, partindo para sua sala, para continuar seus estudos. Fiquei ali, sem esbanjar qualquer reação, apenas analisando o local, sem fazer qualquer ideia de que horas eram ou se deveria ir embora dali. Até que meus olhos se voltavam para algo brilhante próximo de meus pés, mais precisamente algo cintilante em baixo da mesa de estudo — um pergaminho perdido. Fiquei levemente indignado, não havia visto aquele pergaminho ali antes, provavelmente ele pertencia à Hagrid.

Retirei o pergaminho sujo de debaixo da mesa, subindo então na cadeira e pondo-o em cima da mesa. Estava levemente curioso para saber o que o bondoso senhor estudava, então retirei o lacre do rolo, abrindo-o lentamente. Vi algumas imagens, mas nada muito descritivo, apenas algumas gravuras do que pareciam ser retratos falados. O nome "Kagune" aparecia diversas vezes, sendo algo estranho de se entender. Ficou claro se tratar de alguma habilidade especial ou algo do gênero. Manipulação da carne do próprio corpo era algo estranho de se pensar, mas era aparentemente possível para os membros desse clã. Kamishiro, Yoshimura ou Washū. Não era claro o verdadeiro portador dessa incrível habilidade, além de faltar muitas informações de como isso funcionava, mas era inevitável perceber que os integrantes do culto estavam estudando essa habilidade para tentar adquirir a imortalidade. A regeneração e necessidade de matar os outros eram pontos em comum entre as habilidades, fazendo os grandes anciões acreditarem que aqueles malditos manipuladores de carne eram devotos à Jashin que se desviaram do caminho sagrado. Não acreditei em nenhuma dessas baboseiras, apenas fechei o pergaminho, colocando o lacre de volta no lugar e partindo.

As janelas escuras indicavam que o dia já estava em seu fim, dando lugar à noite fria que vinha à seguir. Não esperava encontrar ninguém no caminho até em casa, e assim aconteceu, sendo capaz de chegar em minha cama antes que meus pais pudessem notar que havia deixado o lugar. Haviam biscoitos deixados para mim na mesa, então os comi enquanto tomava um pequeno copo de leite gelado, me deitando em seguida, já que estava cansado depois de um dia inteiro naquela biblioteca. Apenas pude ouvir meus pais entrando em casa, assim como sempre fazem depois de um culto, rindo e aparentemente alterados pela ingestão de álcool. Suas palavras não faziam sentido algum, apenas algumas besteiras sobre guerras e bijuus, nada que ligasse agora, então apenas me virei e adormeci.

Na manhã seguinte, acordei sozinho. Meus pais haviam saído cedo e não me disseram para onde iriam ou que horas voltariam, então fui até a cozinha para ver se haviam ao menos me deixado o de comer. Achei um livro amassado e velho, parecido com os vários livros de história que haviam na biblioteca. Abri aquele amontoado de papéis amarelados e passei meus olhos naquilo, um monte de informações sem sentido sobre as guerras do passado e possíveis bestas feitas de chakra que existiram pelo mundo. Não me importava, mas dei uma rápida lida naquele livro, deixando-o de lado em seguida. Meu almoço me esperava.

Palavras: 1252
Caracteres: 7068
Considerações: Só um filler sobre o passado do meu personagem, reformulando como adquiri alguns dos conhecimentos da minha ficha, que se manteram devido ao reset parcial.
Caso Necessário: O < Link de onde adquiri os conhecimentos.
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: [Fillers]My Immortal Suffering - 12/6/2017, 16:10

@
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.