>
Naruto RPGAkatsukiNão é o único, simplesmente o melhor!
Arco 11:
Reino de Lilith: PesadeloAno: 71DG
Após uma dura jornada, Shaka finalmente caiu e teve a maldição retirada de seu coração. No entanto, os problemas trazidos pela família Hattori não se extinguiram. Shion revelou ter ajudado a libertar Lilith, uma monarca da dimensão infernal, que agora está possuindo o corpo de Hyuga Katsura e libertando uma horda de seres infernais contra este mundo. O mundo corre risco de ser consumido pela maldade dessa criatura, mas não se o plano de Shion der certo: forçar Lilith a causar um evento chamado de O Grande Eclipse, onde as portas de todos os mundos e dimensões ficarão abertas, e assim permitir a ele ir ao submundo resgatar sua amada Katsura Grey para finalmente selar Lilith.
Sumário
Mapa
Staff
Discord
Facebook
Contos
Estação: Primavera
Últimos assuntos

Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

D - Zekken [Floricultura] - 19/5/2016, 13:33

Uma xícara de café quente é sempre o suficiente para me despertar de manhã, ainda mais em dias ensolarados como aquele, onde o canto incessante dos pássaros me instigavam ainda mais à levantar. Agora, sentado no sofá da sala, tateei um livro recém comprado enquanto saboreava a doce cafeína percorrer por minha garganta. Blood of elves, dizia na capa de couro. — Onde foi mesmo que eu consegui esse livro... não lembro, apesar deste ter uma aparência bem antiga. — pensei, tomando mais um gole de café. — Folheei o livro uma ou duas vezes mais, e decidi que o leria mais tarde, à noite. Era a única hora que minha mente resolvia se acalmar desde que tornei-me Genin, culpa de toda a correria que era a vida de um ninja. Tomei mais um gole de café e enchi o estômago com alguns pedaços de pão, quando batidas na porta da entrada me atiçaram. — Quem será tão cedo? —

Uma mulher, adulta, me esperava à porta. — Você é Emiya? Pois bem, há uma missão de extrema urgência para você, pegue este papel e vá. — Finalizou a mulher, sumindo logo em seguida.

O papel descrevia o que seria a missão; cuidar de uma floricultura chamada Yamanaka no centro da vila, que devido ao movimento da clientela, não poderia fechar um dia sequer - afinal, a dona perderia uma quantidade significativa de Akatsuki Gold. — Ah, esses capitalistas... — suspirei, por fim.

...

O céu era azul, sem nuvem alguma quando saí de casa, já com meus trajes usuais e meus equipamentos perfeitamente posicionados na coxa direita. Peguei um caminho pelo ar, utilizando dos prédios para movimentar-me rapidamente até o local designado, afinal, deveria concluir a missão o mais rápido possível.

O som dos pombos levantando voo indicaram minha chegada à loja, com o bilhete em mãos. Não havia ninguém na entrada, mas caminhei para a loja mesmo assim, minha missão era cuidar dela, afinal. — Olá? — Gritei, olhando ao redor na espera de alguma alma viva. Observei, finalmente, uma mulher loira e atraente, com cerca de uns vinte e cinco anos, ou até menos. Senti o odor agradável das flores lá dentro, estas que estavam em filas de potes de madeiras retangulares, com no máximo um metro de comprimento e com um espaço entre as filas na qual as pessoas transitavam.

— Olá Senhora Yamanaka. Sou Emiya, irei cuidar da loja hoje. — Apresentei-me formalmente, tomando de súbito sua atenção e aproveitando para observar as flores que ali se encontravam.  Então é você o rapaz que tomará conta de minha loja, sim? Prazer, me chamo Tetsu; Tetsu Yamanaka, prazer em conhecê-lo. disse, retomando o diálogo logo em seguida; enfim, irei sair mas não irei demorar, você só precisa atender alguns clientes. Há uma lista de flores no balcão de atendimento, caso você se confunda com algo. Bom, estou atrasada, então vou indo. Até mais. — Até mais.— Murmurei, indo logo para o balcão e conferindo a lista, não parecia complexa, aparentemente.

...

O tempo voou e eu sequer notei, mas já estava cansado de tanta clientela, além dos curiosos que sempre passavam por ali. Em poucas horas, atendi uma quantia absurda de pessoas, uma ou duas dezenas, talvez até mais. Suspirei, observando a idosa que entrou na loja. Finalmente meu turno estava acabando.

A idosa que outrora adentrou, escolher um enorme e bonito arranjo de flores e viera até o balcão, mas por incrível que pareça, sequer demorou mais de dez minutos para fazer sua escolha. Aqui está, meu jovem. Passei os olhos rapidamente pela quantia de flores que ela carregava, dos mais variados tipos, que felizmente formavam um belo arranjo. — Para alguém em especial? — arrisquei, observando sua reação. É para minha filha, ela gosta de flores, e eu também. Disse a idosa, sorrindo em seguida. Passei as flores pelo balcão e as guardei, entregando para a senhora logo em seguida.

Belo trabalho, Emiya-Kun. disse Tetsu, que havia acabado de voltar de sua viagem. Uma fila formou-se logo atrás da dona do estabelecimento, que voltara de viagem com diversos arranjos de flores - bem bonitos por sinal. Retirei o avental e, ela assumiu Certo, agora deixe comigo. Fora um bom trabalho que fizera por hoje. Disse a mesma, tomando meu lugar no balcão. Com um sorriso simpático, Tetsu disse: aqui está, Emiya-Kun, missão concluída. Tenha um bom dia. E eu rapidamente peguei o dinheiro de sua mão, indo embora em seguida.


230 // 225
-
Convidado
Convidado
Anonymous
Vilarejo Atual

Re: D - Zekken [Floricultura] - 19/5/2016, 14:04

Aprovada.
-


Edição de Aniversario por Shion e Senko.